ritmos do feminino Ritmos do Feminino é um projeto de liderança feminina transpessoal inspirado nas lições dos mitos e lendas do famoso livro “Mulheres que correm com os lobos” da autora junguiana Clarissa Pinkola Estés.

O projeto, criado e conduzido pela educadora transpessoal Juliana Leonardi, parte da livre interpretação do significado da liderança feminina a partir de uma perspectiva transpessoal, tendo por base, os contos sobre o feminino selvagem de vários povos e culturas recolhidos e narrados por Clarisse Pinkola Estés.

No projeto o mergulho nos mitos acontecem paralelamente ao trabalho com vivências artísticas, expressivas, mitodramáticas e prática de artes curativas femininas.

As histórias permitem a cada mulher acessar sua própria jornada mítica, resgatando, assim, os ritmos do acolhimento, do recolhimento, da nutrição do ser e do saber agir como consciência de grupo de serviço no presente desafio planetário.

Ao longo de nove workshops independentes que tem por linha condutora nove mitos selecionados do livro “Mulheres que correm com os lobos”, o projeto se propõe a trabalhar diferentes aspectos e vivências do poder feminino nos caminhos da autoliderança e da liderança como consciência de grupo.

Assim, de mito em mito, aprendemos a reconhecer as lições de cura e de liderança do feminino, transformando nosso modo de pensar, sentir e agir de forma a construir uma liderança feminina pautada nos valores da ética do cuidado, da vida criativa e da solidariedade.

12418039_220199211655169_4289791178578559002_n O primeiro workshop do projeto chama-se Pele da Alma e traz a lenda da Mulher-Foca contada nas regiões da Irlanda, Escócia e Finlândia. A jornada mítica dessa história é um convite a uma aventura especial: O retorno ao lar, o lugar ao qual pertencemos.

workshop 2 A Bruxa como Mestra é o segundo workshop do projeto. Inspirado no antigo conto russo de Vasalisa, somos convidadas nessa belíssima história a espremer a verdade das coisas, reconhecendo, afinal, que não é a mãe boa e sim a mãe selvagem, aquela que chamamos de bruxa, que nos prepara para o uso da intuição, da capacidade de discernir as coisas e extrair a verdade das experiências que vivemos, substituindo, assim, a inocência pela maturidade da mulher selvagem.

O terceiro workshop do projeto chama-se Fome da Alma e traz a famosa história escrita por Hans Christian Andersen Os sapatinhos vermelhos. Aqui somos convidadas a encarar as armadilhas interiores que nos levam ao aprisionamento da alma, a reconhecer escolhas autodestrutivas que fazemos em nossas vidas e aprender a conquistar um autodomínio sobre as forças de loucura e de morte que existem em nós.

Pertencimento é o quarto workshop do projeto e traz a lenda de Hans Christian Andersen O patinho feio. Nesta jornada mítica somos convidadas a descobrir aquilo a que pertencemos e reencontrar nosso grupo de almas. Este é um conto de cura sobre o reencontro com o nosso grupo de serviço na terra.

O quinto workshop chama-se Os Ciclos do Amor e traz a antiga história do povo inuit A mulher-esqueleto. A história nos convida ao desenvolvimento de uma capacidade miraculosa de amar nos diferentes ciclos da vida, superando o ilusionismo romântico que entende o amor como procura de mero prazer ou estabilidade nos ciclos da prosperidade. É preciso, como bem indica Clarisse Estés, encarar da forma mais elegante, inteligente e persistente os ciclos de vida-morte-vida da natureza e do destino que, afinal, são os próprios ciclos do amor. Para que se crie um amor duradouro é preciso aprender aceitar e abraçar todos os ciclos de vida-morte-vida que fazem parte da natureza e das relações.

Os Caminhos do Perdão traz o sexto workshop do projeto. Conta a lenda japonesa O urso da meia-lua. A jornada do Urso da meia-lua é um convite ao trabalho de cura com a raiva, entendendo que no processo de transformação da dor, da fúria, a liberação da mesma é obrigatória para que a jornada possa completar seu ciclo. A grande lição dessa lenda é nos indicar como liberar e trabalhar com o poder da raiva de forma saudável.

O sétimo workshop do projeto chama-se Rio por baixo do rio e traz a lenda mexicana La llorona. Essa lenda é um convite a permissão dos fluxos da criatividade e da capacidade criadora da mulher como essenciais no processo de cura e regeneração do ser. Nesse trabalho iremos explorar o tema da criatividade como parte da força maior do ser e do processo de alimentação psicoespiritual do princípio feminino.

Terra fértil traz o oitavo workshop do projeto e conta as histórias daquelas que ficaram conhecidas na cultura mundial como Deusas Sujas. Neste penúltimo workshop percorreremos lendas e histórias de deusas que nos convidam a resgatar a dimensão do sagrado na sexualidade e, mais especificamente, da obscenidade como um aspecto da sexualidade sagrada, obscenidade entendida como princípio vital para a natureza selvática, princípio que resgata a dimensão do riso, do encantamento e do corpo na vida. A capacidade de manter o humor e as passagens desobstruídas é a grande lição que Baubo e Coyote Dick irão nos trazer nesse inesquecível encontro.

O nono e último workshop do projeto chama-se O Uivo e traz a lenda da Mulher-lobo contada no México. Esta é uma jornada que nos convida a arte de fazer renascer o que foi dado por morto, da intimidade perdida que nos ensinava a cuidar dos ossos que negligenciamos em nossas vidas, da capacidade de recuperar internamente tudo o que necessita de nosso sopro para viver uma vez mais.

Facilitadora
Dra. Juliana Leonardi

Doutora em Ciências da Saúde, com ênfase em Arte e Saúde Mental pela USP de Ribeirão Preto (SP). Mestre em Enfermagem, com ênfase em Arte e Saúde Mental pela USP de Ribeirão Preto (SP). Bacharel em Musicoterapia, com ênfase em Musicoterapia e Saúde Mental pela Universidade de Ribeirão Preto. Licenciada em História, com ênfase em História da Arte pelo Centro Universitário de Brasília. Licenciatura em Pedagogia (em andamento), com ênfase em Arte Educação pela Universidade de Uberaba. Facilitadora do projeto “Ritmos do Feminino” para diversos círculos de mulheres no Brasil. Co-autora do livro Saúde Mental e Arte – Prática, Saberes e Debate com Dr. Paulo Amarante e Dra. Fernanda Dra. Nocam. Áreas de atuação: Educação para a Paz, Eco-Espiritualidade Feminina, Educação Transpessoal, Liderança Feminina Transpessoal, Terapias Artísticas, Mindfulness e Healing Arts.

Mais informações em: https://www.facebook.com/ritmosdofeminino