Elza Soares foi votada como melhor cantora do milênio

Considerada pela BBC, como “a melhor cantora do milênio” Elza, conhecida no mundo todo como A Rainha do Samba, foi descrita pela revista internacional Time Out como “uma mistura explosiva de Tina Turner e Celia Cruz”.

Nascida na favela da Moça Bonita, ela passou a infância “rodando pião e brigando com os meninos”.
Com 12 anos ela casou pela primeira vez aos 12 anos, teve seu primeiro filho aos 13, ficou viúva aos 21 e se consagrou como cantora com sucesso internacional aos 30.
Para além de Elza Soares ser um ícone como pessoa e como artista, é acima de tudo um exemplo de superação.
A vida não foi nada doce para Elza: Ela teve força para enfrentar inúmeras dificuldades e mesmo assim, sempre subiu ao palco com um sorriso escancarado no rosto pra contagiar as suas plateias com toda a alegria do samba.

Sua expressão é dura, suas feições felinas e exageradas, ornamentadas pelo seu cabelo afro volumoso sempre coroado com flores ou um turbante, seu sorriso é rasgado e sincero, sua voz metálica, rouca, suja e carrega o peso de 6 décadas, sua personalidade é forte, sensual, presente, curta, grossa e incansável.
Hoje com 78 anos e 60 anos de carreira musical, seu samba já inspirou três gerações. Ela é um clássico que provou que enquanto estiver viva vai continuar sempre adaptando com muito talento às novas gerações e aos novas realidades.

Em Outubro ela nos surpreendeu mais uma vez lançando o primeiro álbum de 11 faixas super contemporâneas, inteiramente composto por músicas inéditas, depois de sua longa discografia recheada de interpretações de músicas muito bem conhecidas pelo Brasil. Os principais temas do “A Mulher do Fim do Mundo” são a violência contra a mulher, sexualidade, negritude, morte, e sexo. Mas trata também de racismo, de misoginia, de transfobia.

Elza conseguiu aos 78 anos fazer um álbum que forte e cortante, que é melancolia, sofrimento e também é liberdade, como é Elza Soares e como é a mulher brasileira. Suas músicas empoderam a mulher e os as personas non gratas da nossa sociedade, ele toca na ferida, mas nos acorda para a vida.

Louvores a Ela a cara do Samba no Brasil e no Mundo! Palmas para ela e reverências a Elza Soares!