Amor

O amor é o sentimento mais importante que existe. O compartilhar carinho, amor ao próximo, palavras de conforto, sorrisos abraços, e outras manifestações que expressem carinho, nos leva ao sentimento de amor.
Quando amamos, o mundo parece mais colorido, mais bonito, mais feliz. Os hormônios mudam, fabricamos mais serotonina e nos tornamos mais amigáveis com os outros. E por que só nos tornamos mais amigáveis assim?
Quando temos um propósito de vida mais abrangente e menos egoísta, conseguimos ter mais amor ao próximo. Nos preocupamos mais com os problemas e dificuldades alheias, conseguimos dar atenção e ouvir as pessoas. Porque em nosso egoísmo, só queremos falar, e achamos que somente nós temos problemas.
Ah divino amor!!!! Que está em tudo e em todos.
Vamos despertar nosso coração para nos doarmos. Pois quando nos doamos ficamos mais felizes.

Olhai o próximo com o olhar do coração.

Lívia Croce Empresária, Palestrante e Consultora Empresarial
Lívia Croce
Empresária, Palestrante e Consultora Empresarial

As Pílulas Mágicas da Felicidade

Pesquisas mostram que o maior erro das pessoas é acreditar que a felicidade está atrelada à alguma conquista material ou que depende de algo a ser conquistado e assim acabam tendo a sensação de vazio constante, de que falta algo em suas vidas. Assim começam a busca insana por algo que os preencha ou alguém que os faça feliz e assim melhorar o estado de satisfação existencial. Contudo procurar fora é assumir que não se tem dentro! Faz sentido?

A ciêntista PHD Sonja Lyubomirsky da Universidade de Stanford, se dedicou ao tema Felicidade e descobriu uma proporção muito interessante a qual ela chamou de solução dos 40%:
– 50% da nossa felicidade é determinado geneticamente.
– 10% (apenas!) dos nossos níveis de felicidade são determinados pelas circunstâncias ou situações da vida.
– 40% está relacionada com nossos hábitos e comportamentos.

Se não podemos mudar nossa genética e se, na maioria das vezes, também não podemos mudar as circunstâncias que se apresentam na nossa vida, então nossa felicidade é determinada pelas atividades intencionais que podemos desenvolver e aprimorar!

Este assunto é tão decisivo que a Washington University, quer ajudar seus estudantes a fazer mudanças que os levam à felicidade os incentivando a aprender sobre como eles podem afetar sua própria sensação de bem-estar. O professor da disciplina, aconselha, entre outras coisas, à seus alunos que durmam melhor, pratiquem exercícios, além de manter conexões sociais — ao mesmo tempo em que evitam “comparações sociais,” especialmente online.

Por onde começar? Deixo aqui 3 (de infinitas) dicas preciosas:

SEJA FELIZ com o que tem AGORA, enquanto busca o que quer. São pessoas felizes as que enxergam crescimento em tudo, que aprenderam que é importante focar na alegria e o resultado disso é que atraem muito mais situações felizes do que desgraças. O que move uma pessoa é o desejo de progredir e foi por este motivo que começamos a engatinhar, para depois andar e sair pelo mundo. Sempre poderemos melhorar nossa capacidade de aumentar nossas forças em qualquer área da vida, de gerir os nossos pensamentos, nossas emoções e nos comportarmos de forma produtiva e positiva apesar de nossas circunstâncias.

SEJA GRATA(O) A gratidão tem poder da atração. A gratidão vem do latim gratia, que significa literalmente ‘graça’, ou gratus, que se traduz como ‘agradável’. Significa reconhecimento agradável por tudo quanto se recebe ou lhe é reconhecido, genuinamente sem nos tornarmos vinculados, obrigados ou ligados. Está comprovado cientificamente que quem é grato pelo que teve, tem e terá é mais feliz! Gratidão pensada e não sentida tem curto efeito. Para a gratidão ter um efeito prolongado, a dica é apreciar, receber com apreciação tudo que vier como sendo uma graça/benção, em agradecimento ao invés de obrigação.

TENHA SEU PRÓPRIO CONCEITO DE FELICIDADE O seu, e não o que lhe tenha sido decretado, o que a mídia divulga. Mas sim, aquilo que faz o seu coração vibrar! Ouvi de um grande expert que, para termos sucesso, temos que ter metas, mas que, para ser feliz, o segredo é a contemplação e a apreciação! Você já parou para se perguntar o que é felicidade para você? Já refletiu se os conceitos que vêm a sua mente são realmente seus ou se você está reproduzindo algo que veio de alguém? Muita gente vive perseguindo um sonho que nem é o seu e quando, finalmente, o conquista, vê que nada mudou em sua vida. Isso vale para o trabalho escolhido, para o relacionamento, quanto a viagem que tanto almejava fazer e tantos outros eventos da vida. Entenda que pode ser que a sua definição e o seu conceito de felicidade podem estar lhe levando ao fracasso, à autossabotagem e à infelicidade.

Que comportamento ou atitude sua lhe fez/faz/fará feliz no dia de hoje?
Qual o preço que está disposto a pagar? De de que abrirá mão? (Ex.: de estar certa(o), de ser do seu jeito, de como deveria ser, de como deseja se sentir em relação a um fato!) Quem treina e está atento as coisas simples,consegue detectar as coisas grandes com mais rapidez, e com isso já sair na frente! Tudo é uma questão de escolha e pratica. E o que celebrará hoje?

Entenda que a sua felicidade está dentro de você, ela é abundante, como uma fonte. Você nasceu, não só para comer, beber, dormir, se procriar e pagar contas. Mas sim para se conhecer, se desenvolver e deixar sua contribuição e legado. Pois o divino mora em cada um de nós e juntos carregamos todas as alegrias e as dores, todo o bem e todo o mal do mundo e assim formamos a humanidade ( = uma unidade).

Sua fonte secou?
Pode acontecer, todos nós temos ciclos, mas sempre que necessário, vá até a origem, lá no inicio de tudo, perceba do que abriu mão para pertencer, para ser reconhecida(o). para ser aceita(o). Por acaso você confinou seu autoamo, adiou seus sonhos? Confinou sua verdadeira amorosidade? Já fez coisas, aceitou convites com medo de ser excluido de um grupo ( leia mais sobre fomofobia)? Quantos vezes você teve a necessidade de ser onipresente? Ou o contrario: se ausentou e não faz o seu papel? Quantas vezes, nos relacionamentos, você se equilibrou nos extremos? (presença demais X indiferença, pois ambas são atitudes desequilibradas)

A verdade é que somente nos sentimos felizes onde somos amados por aquilo que somos na essência e não na aparência.
Então, a melhor opção ainda é ir a sua fonte, pois quanto mais perto da nascente, mais límpida e pura é a água! E a agua se renova o tempo todo, assim como todos nós. Agora estamos em estado liquido, hora sólido, ou gasoso. O importante é ser feliz em todos os estados.

Em que fonte você está se abastecendo? Qual o estado desta fonte?

CONTE COMIGO, estou à disposição para lhe auxiliar a chegar num outro nível. Tenho muita material incrível para pode lhe ajudar a acelerar o caminho rumo a plenitude. Finalizo manifestando a minha gratidão à você, pois é você quem me continua e me inspira na minha missão de contribuir na construção de um mundo mais próspero e saudável. Espero também ter lhe inspirado de alguma forma!

Beatriz Guenther, é graduada em Administração na Universidade Federal de Santa Catarina, pós graduada em Finanças pela Fundação Getulio Vargas/ RJ e em Desenvolvimento Gerencial pela FAE/Curitiba. Em seus 20 anos de experiência profissional atuou na área financeira e administrativa em empresas de diversos setores e de diferentes portes, sempre envolvida com equipes de alta performance. Empresária e COACH de Liderança e Autoliderança e comprometidas com resultados. Em 2011 fez sua formação em Mentoring & Coaching e desde então atua como COACH de Liderança e Autoliderança presencialmente e online, com atendimentos individuais.

Empresária e COACH de Liderança e Autoliderança
Empresária e COACH de Liderança e Autoliderança

Viva o bom humor!

Às custas de muitos erros e alguns acertos, tenho apendido muitas coisas ao longo de quase 5 décadas tentando, tentando e tentando. Consegui traduzir em mudanças de hábitos de pensamento e comportamento alguns destes aprendizados, contudo, a maioria deles ainda são placas de estrada me apontando o caminho. Paciência, isso é o que nos impulsiona, saber que sempre temos MUITO ainda a crescer.

Nesse caminhar, aprendi que sorrir juntos é muito diferente de rir sozinho. O primeiro é alegria compartilhada, o segundo é egoísmo disfarçado de senso de humor. Me explico.
Uma das qualidades mais especiais, sem dúvida, é senso de humor. Quem não admira a pessoa de bom astral, com a mente sagaz, capaz de tiradas fantásticas e superengraçadas? Mas tudo requer sabedoria, tato e carinho…

Antes de falar, no nível do pensar, temos uma oportunidade de ouro de agir diferente, de refletirmos sempre se aquilo que vou falar será agradável ao ouvido da outra pessoa. Por exemplo, quando arremedamos (imitamos) o sotaque de outra pessoa, será que ela se sente valorizada?
Quando fazemos gozação, ainda que de forma branda, com a forma física de alguém, ela se sente acarinhada?
Quando dizemos coisas que nos divertem mas irritam o outro, será que ele se sente amado? O que você acha?
Fala sério, acha mesmo que o mero fato do outro não demonstrar estar chateado e até mesmo esboçar aquele sorriso amarelo é sinal de que ele está gostando da brincadeira?

Que tal exercitar a inteligência e o senso de humor com o qual fomos agraciados para expressar coisas divertidas, que alegram o ambiente e trazem para perto de si o outro?
Sabe, é possível enxergar o outro, ter um pouco de empatia, exercitar a alteridade. É possível construir um novo modo de fazer graça.
Agora, se você acha bom rir da queda, da cultura diferente ou dos defeitos, tudo bem, faça como os sábios palhaços, ria de si mesmo.
Eu acredito que podemos mais, sempre podemos ser maior e melhor do que somos agora. E é preciso mudar. É urgente mudar. Como diz Gabriel o Pensador, “A gente muda o mundo na mudança da mente.” Afinal, não há como construir uma nova sociedade sobre alicerces prenhes de cupim, ou há?

E quando o outro estiver no centro da conversa, realce sua dignidade e viva um momento delicioso sorrindo e rindo juntos.

Liese Cavalcanti, mãe, avó, mulher apaixonada e pensadora
Liese Cavalcanti, mãe, avó, mulher apaixonada e pensadora

Tristeza em Rosa e Azul

Pensei em escrever sobre a alma feminina e a tristeza que muitas vezes lhe invade o peito. Decidi intitular de “Tristeza Cor de Rosa”, quando me dei conta que a expressão só reforçava estereótipos que precisam ser combatidos, estereótipos de comportamentos que não condizem com a realidade. Afinal, quem disse que rosa é cor de mulher? Minha mãe prefere azul e eu prefiro branco… De igual modo, quem disse que tristeza é coisa da alma feminina?

Tristeza é ponta de flecha que não escolhe gênero, entranha igual não importando o nome, o endereço, a cara.
Não há como evitar as tristezas de entrarem no lar da alma, mas somos nós que a convidamos (ou não) para sentar, tomar café, e, muitas vezes, passar verdadeiras temporadas. As tristezas são bem-vindas, mas precisam saber a hora de ir embora. Já para as alegrias, nem pensar em fazer visita de médico. Venham e fiquem, se instalem para sempre. Na noite tristeza é óculos escuro, alegria é clarão do luar.

Tristeza é a mais perfeita prova da teoria de Einstein. Quando entra com tudo, é absolutamente interminável. Temos plena certeza de que “Jamais passará”. E quando finalmente passa, nos damos conta de que, afinal, não foi tanto tempo assim. Pensemos: na eternidade de nossa existência humana, as tristezas não são mais que pequenos pontos que se esvanecem. Já as alegrias, ah, as alegrias, são nós firmes unindo as linhas de nossos passos numa jornada de felicidade.

O segredo é receber a tristeza com certo distanciamento, olhar para ela com cautela, certificar-se que ela não se avolume, analisá-la buscando a medida certa e, com isso, encontrar a dosagem certa do remédio que muito bem pode ser apenas o tempo.

Já para a alegria, a ideia é agirmos como um imã, é ter um novo olhar sobre tudo. Homens e Mulheres, repensando nosso modo de ver e viver cada momento, cada pessoa. Não se trata de riso exagerado nem de euforia tola. Se trata de respirar fundo, inundando o peito com tranquilidade, de inalar perfume de flor, perceber o arco-íris, sentir o sorriso. Permitir-se ser feliz! Sim, permitir-se porque é uma escolha sua, minha, nossa!

Então, sejamos felizes!

Liese Cavalcanti, mãe, avó, mulher apaixonada e pensadora
Liese Cavalcanti, mãe, avó, mulher apaixonada e pensadora

Dicas para começar a sua semana cheia de energia

Segundo pesquisa do Ibope 98% dos brasileiros andam se sentindo exaustos.
Damos alguns conselhos para começar a semana com energia.

Mesmo depois de descansar no final de semana muitas de nós acordam na segunda feira com uma sensação de cansaço indescritível.
O stress, complicações no sono, a alimentação e o sendentarismo são os principais inimigos da vitalidade.
Juntamos algumas dicas para ajudá-los a não conviver diáriamente com cansaço.

Rir é o melhor remédio!
Quando nós rimos, o corpo relaxa e sente prazer o cérebro liberando anticorpos e hormônios, como endorfina e serotonina.
Esta reação faz com que a imunidade melhore e o cansaço mental reduzia.
Até o próprio ato de sorrir, é capaz de induzir o cérebro a pensar que está feliz.
Por isso fale besteiras, veja comédias, faça programas com seus amigos e sorria, sempre!

Exercite-se.
A primeira coisa que abdicamos quando estamos cansadas é o exercício, mas saiba que isso só piora as coisas, pois para além de aumentarem a força física, durante a prática de exercícios, hormônios do prazer são liberados, relaxando a mente e combatendo o desânimo emocional.
Crie uma rotina, de algum exercício que lhe dê prazer e coloque na sua agenda um horário reservado para esa tarefa.
20 minutinhos por dia é mais do que suficiente para te dar energia por um bom tempo.
Vale tudo: andar, nadar, correr, fazer sexo, depende de você.

Evite alimentos pesados e gordurosos
Especialmente durante a semana. Aposte em alimentos ricos em fibras, evite açucar, reduza alimentos ricos em gluten, prefira grelhados, legumes, saladas, grãos integrais e muita água.
Para processar a digestão, o corpo altera a circulação sanguínea para o processo digestivo e quanto mais gordura é consumida, mais é exigido do intestino.
Porcausa disso o cérebro é menos irrigado com sangue, o que causa aquela sensação de sonolência e falta de energia.

Antes de ir dormir, desligue-se dos seus gadgets.
Televisão, computador, celular, tablet – estes aparelhos estimulam o cérebro e as suas luzes desses aparelhos impedem-nos de produzir o hormônio do sono, por isso opte pela escuridão total na hora de se preparar para dormir, o ideal é desligar tudo meia hora antes.

Diga não ao café
Café produz um pico de energia que se segue por um pico de cansaço, semelhante ao que ocorre com o consumo de açucar.
De manhã água quente com limão e alguns chás, como o chá verde são substitutos fantásticos.

Melissa Corrêa
Melissa Corrêa
Designer, Marketeira e Viajante

Podcast Questão de Mulher #6 – Felicidade Além da Dor!

Neste episódio Shideh conversa com a podóloga, Maria Aparecida Matos a Cida, que enfrentou a perda de uma filha recentemente e conta pra gente como lidou com isso e a sua superação perante uma perda tão grande como essa. O programa está emocionante, acompanhe conosco até o final.

[toggle title=”Trilha Sonora”]

[/toggle]
[toggle title=”Assine e entre em contato”]

FEED, RSS e iTunes (Podcast): Clique aqui!

Página no iTunes: Clique aqui!

Sugestões:
Envie e-mail para: shideh@questaodemulher.com.br ou clique aqui. [/toggle]