50 anos de vida

Para meus verdadeiros amigos e amigas:

Esse mês faço 50 anos e eu detesto comemorar aniversário. Morro de vergonha com essa coisa de receber parabéns. Tanto que uma das primeiras coisas que fiz quando entrei no Face foi não permitir que minha data de aniversário se tornasse pública. Falo isso só pra você ter uma ideia do esforço que estou fazendo de escrever agora.
Então, por que decidi escrever? Porque acredito que tem coisas bem mais importantes do que meus receios e inseguranças. Por exemplo, ter “o queixo” de lhe pedir um presente de aniversário. Um presente especial, de 50 anos. Um presente que não precisa te custar nada e que, espero, também te faça bem. E que presente é esse?

Ao longo desse meio século e, em especial nestes últimos 2 meses, inúmeras vezes meu coração e meus olhos choraram com o sofrimento de meninas e mulheres. Algumas até nos enganam, se tornaram aparentemente extrovertidas, cheias de si, mas, no fundo, todas elas, todas sem exceção, têm seus peitos marcados por tantas e tantas vezes que lhes rasgaram a alma lhes fazendo crer que são burras, insignificantes, feias, fúteis. Tantas meninas que foram maltratadas física e emocionalmente. Ás vezes por homens, às vezes por outras mulheres. Eu queria ser capaz de abraçar o mundo com as mãos, curar suas dores, dar amor a cada uma delas que passa ou não por minha vida, mas não é possível.

Então, decidi pedir a você minha amiga, meu amigo, um presente de aniversário que se você puder realizar, me trará mais alegria do que qualquer presente que recebi na vida inteira. Queria pedir que este mês faça uma visita especial a uma menina ou mulher para lhe demonstrar AMOR. Tenha com ela uma conversa edificante, faça-a sentir-se genuinamente importante para o mundo, para você. Que ela possa ao final da visita, se sentir bela, acarinhada, digna.

Bom, esse é meu pedido a você e ao fazê-lo, coloco meu coração em suas mãos, torcendo para que você não considere besteira ou demagogia barata, porque só a ideia de que algum de vocês possa me dar esse presente, me faz chorar de alegria e esperança.

Agora, se alguém quiser me contar depois que fez a visita, nossa, aí seria calda de chocolate com morango e chantilly rsrs.
Meu amor a cada um de vocês.

Liese Cavalcanti, mãe, avó, mulher apaixonada e pensadora
Liese Cavalcanti, mãe, avó, mulher apaixonada e pensadora